Vendedor caipira

vendedor caipira

Um gerente de vendas recebeu o seguinte e-mail de um de seus novos vendedores:

"Seo Gomis, o criente de Belzonti pidiu mais cuatrocenta pessa. Faz favô di tomá as providenssa. Abrasso, Nirso"

Aproximadamente uma hora depois, recebeu outro e-mail:

"Seo Gomis, os relatório di venda vai xegâ trazado proque nóis tá fexano umas venda. Temô di mandá mais treis mir pessa. Amanhã tô xegano. Abrasso, Nirso"

No dia seguinte, mais um e-mail:

"Seo Gomis, num xeguei pucauza de que vendi mais deis mir pessa em Beraba. Tô ino pra Brazilha. Abrasso, Nirso"

No outro dia:


"Seo Gomis, Brazilha fexô vinte mir. Vô pra Frolinopis e di lá pra Sum Paulo nu vinhão das cete hora. Abrasso, Nirso"

E assim foi o mês inteiro.
O gerente, muito preocupado com a imagem da empresa frente aos clientes, levou ao presidente as mensagens que recebeu do vendedor.
O presidente escutou atentamente o gerente e disse:

- Deixa comigo! Eu tomarei as providências necessárias.

Redigiu de próprio punho o seguinte aviso e fixou no mural da empresa, juntamente com os e-mails do vendedor:

"A partí di ogi nóis tudo vamô fazê feito o Nirso, vamô si priocupá menus im iscrevê serto, módi vendê mais. Acinado, O Prezidenti."