Obra de Deus

Deus extrai o ideal dos prantos doces borrifados na tez das flores meigas;

Deus extrai o ideal dos prantos doces borrifados na tez das flores meigas; 
lança no molde a languidez da tarde, a calma santa das etéreas veigas;
 no seio das manhãs colhe perfumes, das entranhas dos céus tira o amor!...
 Insigne obra, que a Deus mesmo custa, nasceu, 
e n’alma da mulher augusta abrigou-se a bondade do Senhor.
 (Tobias Barreto)